O Dia de Iemanjá é comemorado em todo o Brasil em 2 de fevereiro. Trata-se de uma data comemorativa religiosa, portanto, é muito relevante para a fé de diversas pessoas.

Cultuada nas religiões afro-brasileiras, como o candomblé e a umbanda, Iemanjá é um orixá feminino, sempre relacionado às águas doces e, principalmente, salgadas. Esta atribuição ou categoria de divindade é tida como a maior pelos adeptos e, por isso, sua importância é muito grande, sendo adorada por um grande número de devotos. Também conhecida como Dona Janaína, ela é considerada como a padroeira das mães e do mar, sendo frequentemente relacionada a bons valores morais, como o apreço pela família, a honestidade e também a genorisidade para com os outros.

Embora esteja ligada a outras crenças, a escolha por este momento do calendário para representa-la está plenamente associada à Igreja Católica. Isto porque, no mesmo dia desta celebração, também se comemora o Dia de Nossa Senhora dos Navegantes. Para as correntes sincretistas, que enxergam uma relação possível entre credos distintos, estas santidades podem ser aproximidas em algumas de suas características, principalmente pelo aspecto dos mares e pela proteção dada aos pescadores e às pessoas que vivem no litoral como um todo.

Curiosamente, algumas de suas representações associam-na às sereias europeias ou a colocam com um longo vestido azul. Para os brasileiros, Iemanjá significa muito, seja pela forte ligação do povo com as águas ou por outros motivos. Tanto é que nas festividades de Ano Novo e Réveillon tornou-se bastante costumeiro fazer oferendas a ela como uma forma de pedir proteção e boa sorte no ciclo que se iniciará.

Sendo assim, esta comemoração é um marco para aqueles que admiram esta entidade. Seus valores, ligados à proteção e maternidade, possuem uma relevância interminável, que não depende de religião.