Marcada anualmente no vigésimo sétimo dia do mês de março, esta data tem como principal objetivo homenagear a atividade circense, bem como sua importância cultural e artística, cuja influência no Brasil é histórica e bastante relevante.

O circo é um espaço de entretenimento familiar onde são realizados diversos tipos de espetáculos e shows que lhe são peculiares. Algumas performances, como malabares e trapézio, estão tradicionalmente identificadas com este ambiente. Outras características bastante notáveis são as apresentações de palhaços e a presença de crianças na plateia, o que contribui bastante para uma divertida interação entre o público e os artistas.

Este espaço também está bastante relacionado à mobilidade, pois os circos geralmente não ficam se apresentando em apenas um ponto fixo, viajando assim de maneira contínua entre cidade, estados e até países. Ou seja, por muito tempo, dentro da cultura popular, a chegada de um circo a um local era um fato muito marcante, ainda mais se fosse um município muito pequeno, onde não chegavam outras formas de entretenimento, como cinema e teatro, por exemplo.

Sua própria estrutura está ligada à flexibilidade, já que não é feito sob concreto, e sim com a armação de uma grande tenda ou lona utilizando madeiras ou metais como apoio. No palco, mais conhecido como picadeiro, as atrações são geralmente apresentadas por um locutor e variam entre as companhias circenses.

O firmamento desta data enquanto Dia do Circo está associado ao palhaço Piolim, que era interpretado por Abelardo Pinto, nascido em 27 de março de 1897. Ele é considerado até hoje como um dos maiores artistas brasileiros e uma espécie de patrono desta vertente artística, pois representou com muito talento a atividade e também lutou pela difusão e reconhecimento das artes consideradas como “de Circo”. Em aspectos gerais, esta data comemorativa enaltece um espaço de alegria e imaginação, onde todos se maravilham com aquilo que veem.