O emblemático Dia do Fico, comemorado em 9 de janeiro, é um registro importante sobre a história brasileira. Embora não seja um feriado nacional, sua ocorrência é uma referência bastante relevante.

A origem desta data comemorativa está relacionada ao ano de 1822, exatamente o mesmo no qual se deu a Independência, quando o príncipe regente Dom Pedro de Alcântara não acatou as ordens enviadas pela coroa portuguesa direto de Lisboa. Os comunicados exigiam seu retorno imediado à terra natal, mas o jovem se decidiu por permanecer na colônia, gerando assim um conflito com a metrópole. Os efeitos deste gesto também acabaram influenciando muito no processo de emancipação política do Brasil em relação a Portugal. Ou seja, pode-se dizer que, por conta deste episódio, além de uma série de outros fatores, o país se tornou independente.

Apoiado pelos liberais, D. Pedro I proferiu ao público que clamava por sua permanência em solo brasileiro a famosa frase: “Se é para o bem de todos e felicidade geral da Nação, estou pronto! Digam ao povo que fico”. Os dizerem se tornaram um forte símbolo para aqueles que lutavam pela Independência e até hoje são relembrados como ícones de um processo de libertação pelo qual a nação passou, se desatando progressivamente das amarras impostas pelos lusitanos. A principal motivação do príncipe foram as 8 mil assinaturas colhidas que reivindicavam sua manutenção.

Esta comemoração é icônica dentro da história brasileira por ser considerada por muitos como sendo o primeiro passo para os novos rumos tomados após naquele períodos. Porém, outros estudiosos, acreditam que os acontecimentos a ela ligados são mais folclóricos do que reais, afinal as atitudes do até então regente não aconteceram exatamente do modo como são descritas atualmente.
Por fim, cabe notar que, com ou sem certezas a respeito desde dia tão polêmico, sua relevância no contexto das mudanças que tomaram a nação é destacada e relembrada até hoje.